26 de novembro de 2012

Grupo Inditex segue crescendo e atinge faturamento de 26,14 bilhões de euros

Quais são os limites do potencial de crescimento de um gigante como o Inditex? Após um aumento de vendas de apenas 3% no último ano fiscal, apesar de um recorde histórico de 26,14 bilhões de euros de faturamento, é natural perguntar qual será a continuidade de seu modelo de negócios ao longo do tempo.

Na Espanha, o volume de negócios da empresa com sede em Galiza cresceu 3%, atingindo 4,55 bilhões de euros. Além disso, é claro, a Inditex está vendendo mais e mais, mas o grupo está indo para o quarto ano consecutivo de desaceleração do crescimento em seu país de origem. "Ainda temos potencial de crescimento", garantiu o presidente do grupo, Pablo Isla, durante a apresentação dos resultados anuais da Inditex na sede do grupo, em Arteixo (La Coruña). "A empresa nunca foi tão dinâmica do ponto de vista comercial”, complementou.

Mas o império fundado por Amâncio Ortega encerrou o ano fiscal de 2018 com o crescimento mais fraco de sua história: um tímido +3%. As margens brutas, no entanto, permanecem em 14,81 bilhões de euros, equivalentes a 56,7% das vendas totais, para um aumento de quatro décimos. Com um aumento de 4%, as vendas em bases comparáveis são encorajadoras, tanto em lojas online quanto físicas, em todos os mercados e em todos os canais.

Em nível internacional, a Inditex conseguiu garantir um crescimento de 3,1%, em 21,58 bilhões de euros, dos quais 9,948 bilhões de euros são provenientes da União Europeia. Os restantes 11,64 bilhões de euros vêm do resto do mundo. A Europa ainda é responsável pela maior parte do faturamento do grupo, com 45,1%, seguida pela Ásia (23,2%), Espanha (16,2%) e América (15,5%).

Leia também:
Desempenho do varejo dos Estados Unidos ensaia recuperação, mas ainda gera dúvidas
Kering e LVMH doam 300 milhões de euros para a reconstrução
Bata introduz a estratégia fast fashion em suas operações

https://www.saopaulopretaporter.com/noticias/ler/grupo-inditex-segue-crescendo-e-atinge-faturamento-de-2614-bilhoes-de-euros