26 de novembro de 2012

Grifes dão aula de luxo no desempenho trimestral

As companhias que comercializam artigos de luxo quase não apresentaram prejuízo na apresentação do último balanço, referente aos meses de julho, agosto e setembro. Pelo contrário, algumas delas até alcançaram números surpreendentes.

Michael Kors
Com resultado acima das expectativas do mercado, a Michael Kors registrou lucro líquido de 145,8 milhões de dólares, ante 97,8 milhões no mesmo período do ano anterior. O resultado foi 49% maior que em 2012.

Outro número além do esperado foi em relação à receita, que subiu para 740,3 milhões de dólares, superando a média de 726 milhões de dólares aguardada pelo mercado.

LVMH
No acumulado de nove meses, o grupo LVMH, da Louis Vuitton, registrou um ligeiro acréscimo de 4% na receita, com 20,7 bilhões de euros. O grupo também apresentou aumento de 8% na receita orgânica neste terceiro trimestre.

De acordo com comunicado da empresa, o braço de vinhos, relógios e joias aceleraram as taxas de crescimento da companhia, quando comparadas com mesmo período do ano passado.

Prada
Além das passarelas, a italiana Prada mostrou que também faz bonito quando o assunto é negócio. A receita líquida da companhia cresceu 10%, com melhora no desempenho em varejo: no conceito mesmas lojas, a Prada teve acréscimo de 7%.

O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou 310 milhões de euros, 33% superior ao mesmo período de 2012.

Ralph Lauren
A marca americana Ralph Lauren divulgou os resultados do segundo trimestre do ano fiscal de 2014, que representam os meses de julho, agosto e setembro. A receita líquida do período subiu 3%, para 1,9 bilhão de dólares. Excluindo o impacto negativo líquido de conversão de moeda estrangeira e negócios descontinuados, a receita líquida subiu 4%.

O lucro líquido da empresa teve um pequeno declínio em comparação ao segundo trimestre do ano fiscal de 2013, fechando em 205 milhões de dólares, ante 214 milhões de dólares. Mesmo assim, Jacki Nemerov, presidente da grife, afirmou por meio de comunicado que a companhia obteve um bom desempenho, com resultados equilibrados.

VF (Kipling)
A VF, dona das marcas Kipling, Eastpack, Lee e Timberland, teve acréscimo de até 5% na receita, registrando 3,3 bilhões de dólares no terceiro trimestre. A margem bruta melhorou em 90 pontos-base, para 47,6%.

Por meio de nota, Eric Wiseman, presidente e chefe-executivo do grupo, afirmou que os resultados do trimestre validaram a estratégia da companhia de expandir a capacidade da empresa e entregar resultados cada vez mais sólidos diante de um ambiente econômico desafiador.

Fonte: Exame (www.exame.com.br)

https://www.saopaulopretaporter.com/noticias/ler/grifes-dao-aula-de-luxo-no-desempenho-trimestral